fbpx

Blog Paulo Freire

Categoria: Educação Infantil

Educação Alimentar – Escola e famílias unidas por uma vida mais saudável

Crianças mal alimentadas podem apresentar baixo rendimento escolar, irritabilidade, dispersão, hiperatividade, fadiga e dificuldade de realizar certas tarefas. Hoje, segundo pesquisa do Ministério da Saúde, cerca de 12,9% das crianças brasileiras, de 5 a 9 anos, são obesas.

Com as mudanças no estilo de vida das famílias, rotinas cada vez mais corridas, as crianças e adolescentes acabam ficando mais suscetíveis ao consumo de alimentos industrializados, pobres em nutrientes e vitaminas. A adoção de hábitos não saudáveis e a falta de atividades físicas têm resultado na incidência e no aumento gradual de doenças crônicas como obesidade, diabetes, hipertensão e distúrbios cardiovasculares. Tudo isso pode ser evitado se se escola e família trabalharem em conjunto.

Como a escola pode desenvolver hábitos positivos nas crianças?

A educação alimentar e nutricional é uma importante ferramenta contra muitas doenças causadas pelo consumo de alimentos processados. Levando-se em consideração que as crianças passam, em média, 25 horas semanais no ambiente escolar, é bom saber que a instituição onde seu filho estuda também cumpre um papel de mediação nesse assunto tão delicado.

É importante que o currículo escolar inclua reflexões sobre as questões alimentares, principalmente na educação infantil, onde grande parte dos hábitos são formados. O cenário deve ser de valorização da alimentação saudável, oferta de alimentos adequados, como frutas legumes e verduras, e atividades práticas como a criação e degustação de novos alimentos em receitas produzidas em grupo. Isso estimula a curiosidade e o desejo de experimentar.

A Horta Escolar estimulando novos hábitos

O plantio, cultivo e colheita de alimentos são uma opção bem interessante para a aprendizagem. Por meio da experimentação e do exemplo, os alunos conseguem assimilar conhecimento e, também, adquirir consciência ambiental.

A partir daí, as crianças atuam como multiplicadores quando levam o que aprendem para casa e passam a querer reproduzir o que assimilaram. É muito importante que a família participe de todo o processo para que os novos hábitos sejam incorporados ao dia a dia.

E o que pode ser feito em casa?

Uma boa opção é rever, com certa frequência, a rotina. Novidades sempre geram boas expectativas. Confira abaixo algumas dicas de pequenas mudanças que podem fazer toda a diferença na sua casa:

  • Convide a criança para ajudar na escolha do cardápio da semana. Além de estimular a participação, esta pode se tornar uma oportunidade de diversão e entrosamento da família.
  • Evite refeições rápidas. Comece a adotar hábitos simples como o de reunir a família à mesa para jantar. Isso fará toda a diferença. Comer com calma traz sensação de saciedade e melhora a digestão.
  • Convide a criança para testar receitas saudáveis. Além de provar novos sabores, essa é uma oportunidade divertida de vocês estarem mais juntos. Com o tempo, escolhas mais nutritivas passarão a ser feitas de forma natural por toda a família.
  • Ofereça diferentes opções para uma alimentação saudável e completa. Mas, não se esqueça de oferecer a criança alimentos que, também, sejam da preferência dela.
  • Sempre evite subornos e recompensas para convencer a criança a se alimentar melhor.
  • Invente pratos decorativos. Ao utilizar os próprios alimentos para criar imagens ou personagens, o momento da alimentação ficará muito divertido.

Sabemos que educar não é uma tarefa fácil. Mas, quando a escola e a família dialogam, compartilham projeto e se unem, fica muito mais fácil estimular o desenvolvimento pleno da criança.